24 junho 2010

Acordei, mas acordei de olhos despertos, olhos brilhantes como já não me lembrava. Acordei com vontade de me ver, de me encontrar em cada sitio que escolha hoje, cada estrada que me faça companheira. Acordei fugida  do que não me é. Acordei sedenta de um mundo que me alimenta, que me embebeda como só ele é capaz.
Já andei tanto, sem que os meus pés se movessem, já cansei o meu corpo e deixei o que sinto lá atrás. Já me troquei por um colo, já cantei sem voz.... sei disso como cada gota que me escorreu pela cara.
Tenho sede de carinho, tenho mais para dar, voltei às raizes que me ergueram, pedi desculpa pela distancia, o que não me vê, não tem espaço em mim e o que me cega é a claridade somente de um principio de lua.
Acordei e vi de outra forma a viagem que me esperava, e reconheço a caminhada arida demasiado longa que deixei lá atrás, trazendo-a nos meus ombros por promessa de peso e leveza.
Está um dia lindo no Alentejo,  prometo-me..
Por detrás das montanhas sei que existe mar, por dentro das searas, há historias, e no calor das mãos duras, há palavras doces que me acariciam a alma.
Por detrás da minha cara, há vida saudosa, há memória, que me obriga e atormenta, e nas janelas fechadas, há fachadas apenas, de uma vida que não existia.
Sem perceber, de zangada, deixei que o medo partisse, falo dele e não o vejo agora em cada dia mais claro que percorro sem companhia e porém, de mãos dadas comigo, companheira saudosa de um dia que ainda não veio.

2 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Um belo texto...esperança a morar em ti...gostei.

Sem perceber, de zangada, deixei que o medo partisse, falo dele e não o vejo agora em cada dia mais claro que percorro sem companhia e porém, de mãos dadas comigo, companheira saudosa de um dia que ainda não veio.


É tão bom estar de mão dadas com a vida.

Beijinhos
Sonhadora

Inês disse...

Não te deixes nunca levar pelo que não é real, porque de repente, tudo o que temos está ao alcance de um sopro, e esse sopro é real! A palavra, o sonho, a mentira, o presente, é disso que somos feitos. o resto é fantasia embora nos encha o ego... mas é mentira!