01 abril 2009

Amigo!


Xico, meu amigo...


Venho por este meio, pedir-te as minhas mais sinceras desculpas por ter ontem contrariado os teus instintos primários..


Não páras de me ensinar..


Percebi tudo quando nem olhaste para a batata frita que a Mariana tinha para te dar... Porra, será que os machos são mesmo assim?


Tinhamos combinado um encontro. A minha irmã esqueceu-se que a Meggy estava "receptiva", mas escusavas de te ter comportado daquela maneira... Passei o resto do dia a conjugar aquelas investidas para cima da desgraçada com o resto da existência. Revi formas e contextos e, percebi.
Será sempre assim?
Somos cadelas com cio e machos com fome?
É essa a natureza primeira e final da existência? Não me desiludas meu amigo... Esperava uma atitude mais cavalheiresca da tua parte! Aquilo não é forma de tratar uma fémea...
Fizeste-me pensar nas divagações em forma de arte, de que nos rodeamos para dar outros nomes à essencia do ser, quando a finalidade conjugada é sempre a mesma. Será que somos loucos a remar contra a corrente?
Ainda tenhos as mãos a arder de te contrariar e nem esqueci aqueles puxões sempre para o mesmo lugar.

1 comentário:

Pipoca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.