23 junho 2009

Verdade

Centenas de palavras
Apontadas e sentidas, que pareceram antes caladas
Entraram em mim, ocuparam-me e ficaram

não sei o que sinto
sinto-me vazia
faltaram palavras para o que sinto
sobraram outras que me queimam na boca
assolam as que sobram e eram minhas
a culpa, a vergonha, o silencio que nao mereço
E eu sinto tanto.

Perdi-me da vida,
na vã tentativa de a encontrar.
Quis mostrar-me que mais vida havia
para alem desta que me havia oferecido.

Quis lutar.
A metade da minha.
Quis mudar tudo
Quis tanto mudar tudo
E nem sabia

E ontem, quando cheguei vazia ,
mais vazia do que podia não encontrei nada.

Se és o meu diario,
se serves de guardião do que mais tarde nao quero esquecer
Não te esqueças de me lembrar
Do que fui e não fui digna
Do que me é e não é devido
Da vergonha e tristeza que sinto
Da culpa que sentia e calava
Que me foi jogada a cara
Porque se julgou que eu nao via

1 comentário:

Pipoca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.