07 maio 2010

Afinal tinha uma posição que nem sabia que era minha. Não suporto aquele branco, fere-me a vista e a audição. A escola devia ser um espaço de intercâmbio, devia ter pinceladas de imaginação, cores e fontes de sentido, devia ter um jardim com pássaros e flores do mundo inteiro, devia ter um laboratório de conhecimento, um banco de ideias, mas adiante, não tem... Tem a D Luisa que me enche os olhos de um sorriso único com cheiro a arroz doce. Tem um professor de Direito que me embebeda com Pessoa, tem caras novas que vou retendo e o meu arco íris marcado. 
Terá amanhã os claustros, as horas, terá as viagens que farei.
Esta não tem.
Tem este branco tremendo, esta cor devassada, esta claridade despropositada, as janelas para a planicie são opacas, fechadas à noite, não percebo, por isso, sento-me e ponho as mãos nas bochechas e seguro-me da cabeça aos pés, e apreendo o que me vem.
Ilustradas com cores laranja, o CIVA, passa por mim, como um amontoado de obrigações que, resumidas caberiam num parágrafo. Isto sim, aquilo não, excepto a Art 6º, que existe para defender a fronteira entre a sanidade e a loucura. Arquitectei metáforas, pintei flores nas margens, e só pensava no velhote e no cortador de relva. A minha conclusão é só essa, o melhor veiculo para se trabalhar na União Europeia. 
Tenho a cabeça tão cheia de códigos, Iva, Irc, D Comercial, Fiscal, Snc.... que não sei já de mim.
Estou cansada.


3 comentários:

Ana disse...

Parece que a "Menina bem comportada" precisa de partir a louça toda. Será?

Angel in the dark disse...

Mas o branco contém em si todas as outras cores...

Bom fim de semana
Angel

Menina do cantinho disse...

Aproveite a fim de semana da melhor maneira possivel.

Regressará depois com mais energias e com outra motivação.

Beijinhos