23 maio 2010

Passo



Quedar-me no compasso 
entre o instante embargado e o sonho que, vivo, 
ensaia um sopro de alma, um grito, 
uma pegada no tempo e,
se preciso, uma lágrima.

10 comentários:

PAS[Ç]SOS disse...

Quantos sonhos, não gritados, a alma segura numa lágrima, vivendo no embargo dum sonho em constante adiamento do compasso dum novo passo?

Leonardo B. disse...

[há necessidade, sim, duma lágrima embargada!]

um imenso abraço,

Leonardo B.

Miguel disse...

nem todas as lágrimas precisam ser tristes. Um abraço.

Sonhadora disse...

Minha querida
Um pequeno texto...mas tantos sentimento contido...numa lágrima.
Adorei

Beijinhos
Sonhadora

Luz disse...

Amiga,
Quantas lágrimas deitamos entre os sonhos que acalentamos e, adiamos..., e, num grito mudo nos quedamos...

Abraço da amiga Luz

Jorge disse...

Olá Milhita,
Lindo! As pegadas no tempo, definem os nossos trilhos na vida. Uma lágrima, liberta e purifica a nossa alma.
Saudações amigas.

Angel in the dark disse...

Com poucas palavras se pode dizer muito!
Um misto de sonho e realidade!

Beijo
Angel

Gisela Rosa disse...

É tudo isso....


Um beijinho, gosto muito do seu espaço. Gisela

Luz disse...

Amiga da alma de Luz,
mereces bem o selo que tenho para ti no meu mais recente espaço, http://asamdepe.blogspot.com/,
não tens de postar, mas pelo menos sabes que és uma mulher fabulosa, porque o és.

Abraço da Luz

Angel in the dark disse...

Tem selo para ti no meu blog

Angel