08 maio 2010

Olhar



Foto: navegante de sonhos,pai

Gosto de guardar nas minhas mãos o poema que trouxe dos meus olhos em criança, como uma trança que fui tecendo ao tempo. 
Gosto dos contornos que a minha memória me alcança, de presença, de momentos.

4 comentários:

Leonardo B. disse...

[gosto de imaginar a memória como uma trama de renda de bilros; complexa, como a praia ao redor do mar]

um imenso abraço, Milhita

Leonardo B.

Ana disse...

E como é bom tecermos essa trança para depois a comtemplarmos...
Fomos. Somos. Seremos?
:), :)
BJ

manuela baptista disse...

gosto do está dentro dos contornos

nas mãos da criança
talvez de trança

um abraço

Manuela

Tânia regina Contreiras disse...

Querida, obrigada pela sua presença à Casada Imaginação. Venho retribuir a visita e encontro aqui muita beleza, parabéns.

Beijos