02 fevereiro 2009

Minha velhinha


Guardo imagens claras, outras vagas, guardo luzes, guardo caras, guardo carinho e aquela voz zangada por quase tudo.. Guardo o teu cabelo branco, todo branco, guardo a tua cara inexpressiva, reflexo do teu ser, de entender sem ousar dizer!
Guardo migalhinhas da nossa vida passada, guardo as buchinhas, guardo todos os dias o que tenho para te mostrar porque, ao longe, nunca deixaste de fazer parte da minha alma na qual edificaste valores e ideiais que quero hoje para mim.
Guardo os entardeceres contigo, as conversas cheias de palavras mansas contra a minha luta desgarrada, por nada!
Guardo as tuas mãos que afagavam o meu cabelo sem ser preciso nunca pedir, eram tão bonitas as tuas mãos ! Delas brotava arte desconhecida, reflectiam o empirismo que te envolvia, saberes passados e trocados na tua mente... Quando assim não era, pedias baixinho para nós escrevermos!
Guardo o carinho com que me viste crescer!
Guardo 5 pedrinhas com que me ensinaste a jogar um jogo à medida do teu querer. Simples, puro, viver por assim ter de ser!
Minha velhinha!
Queria tanto que estivesses aqui... mas sabes, sou apenas fruto da ingratidão; sei que danças uma valsa nunca antes experimentada com quem quem sempre viveste, feliz, em paz!
Sei também que numa qualquer estrelinha o teu brilho ilumina-me ao longe, baixinho, em silencio,como se entendesses que o som das luzes e das cores não fazem falta. Falamos em silencio, na caixinha de memórias que deixaste em mim... Falamos tanto!
Vês como sou feliz agora? Vês?

2 comentários:

a contadora de historia disse...

Irresistivelmente lindo! Como vc pode adentrar em minha alma e tirar sentimentos tão profundos sem sequer me conhecer??? Eu acredito em milagres, hj ao ler isso vc não imagina o q me fizeste, vi o rosto daquela que mais amei. Será q ela vê como eu sou feliz agora?
bjs continue escrevendo por mim e por todos q têm sentimentos

CA disse...

O que tem este texto de familiar?

Tem tudo.

O texto e a foto são uma só coisa, admirável.