11 janeiro 2010

14.8

Um dia, de olhos brilhantes, abeirei-me de uma pauta sobrepovoada de outros olhos, lancei-me de  bruços para o meu horizonte, vi o meu nome, não vi mais nenhum, vi a palavra, sorri por dentro, por fora, cresci, saltei, pulei... O meu sonho estava ali, ao alcance das minhas mãos, sem férias, sem sono, conseguira, estava a meio passo de alcançar.
Ontem sorri, descrente e nunca desistente, isso não, mas cá dentro, um ponto de interrogação, de exclamação, de incerteza, reticencias face à promessa que me fiz.
Hoje, estou tão contente, como naquele dia, sinto-me una, sinto-me gente, sinto-me eu, estou cá, ainda me vejo, os meus olhos estão brilhantes e não preciso de espelhos, não preciso de muletas, de assentimento, sou diferente afinal da imagem que me ofereci, sou capaz, não decresci.
Há tanto mais de mim cá dentro!
Sabes o que me apetece?
Mais, apetece-me mais!
Apetece o que me devo, amigos de verdade, lugares de morada, apetece-me escadas e conhecimento,
apetece-me entrar mar adentro e este sorriso de menina para sempre!

3 comentários:

Vento disse...

E o que te impede de o fazeres?

Beijo

Manuel disse...

Vai manter para sempre esse sorriso que adivinho lindo.

Sonhadoremfulltime disse...

Amiga,
lindo texto.
Se te apetece mais, porquê a espera?

Não fiques como eu, um espantalho inerte e morto


Abraços