10 setembro 2009

III

Cheguei aqui, nesta terra estranha, cansada, sinto a distancia das pessoas da minha vida.
Como eu odeio esta cidade!
Abri o meu mundo escrito, e vi a tua cara linda, sorridente.
Como sempre, acalmaste-me, estas mais bonita, Marta.
Como sempre a voz amiga da minha irmã devolveu-me a coragem de esta caminhada tão justa para mim, tão digna do sonho em que recuso deixar de acreditar. Custe o que custar.
Mas que raio estou eu aqui a fazer?
Se a minha vida nunca se fez aqui?

4 comentários:

Inês disse...

"Abandonando nobremente quem nos deixa, colocamo-nos acima de quem perdemos."

Madame de Stael

Para a minha mana

milhita disse...

Obrigada mana!
Obrigada pela sanidade. Nas horas que mais precisei, de mãos dadas contigo...
Nas horas que mais precisei e o que pedia não tive, como agora!
Sou grande com medo de o ser!

Marta disse...

Deixa la ver se é desta que consigo deixar um comentario-!!

Sandrinha...tu tb és cada vez mais bonita..apesar do apagada que te sentes...emanas um luz, mt prÓpria..mt tua..que me ilumina..e sim...tb me acalma..fogo!!!por fim algUEm q me entende e que eu entendo...mas entre tantos adjectivos...coisa que eu ñ sei usar lá mt bem!!!e..detesto poesia..é tudo tão ''entre linhas''.. preciso de coisas certas na minha vida...contigo, contudo, acontece algo fascinante...COPREENDO-TE TÃO BEM

Anónimo disse...

ahhh...mais algo a dizer: (agora como anonima...a ver se fica o comentario...o de ha pouco ñ sei se ficou)...
é normal q agora tudo em teu espaço te pareça mau e estranho...agora na verdade é 'outro' espaço....claro...tás a vive-lo doutra maneira...mas ñ esquece: que o Espaço e o Tempo são apenas cooredenadas de um ponto de referencia -nós proprios-- 8esta frase foi-me acontecendo quando te conheci...já lá vão uns anos e ñ me esqueço...e vai sempre fazendo sentido em meu precurso..marta